Fazer praia no Rio

Não é por acaso que o Brasil tem duas das mais famosas praias do mundo, Copacabana e Ipanema.  Os areais cobertos de areia branca e fina, o mar translúcido e os milhares de pessoas que as enchem todos os dias, não enganam. A praia é o sitio ideal para se estar no Brasil.

Durante a nossa primeira parte da estadia no Rio de Janeiro, o tempo para fazer praia foi muito pouco, tal era a quantidade de coisas que tínhamos para visitar na cidade e, por isso mesmo, fazer praia tornou-se secundário. Continuar a ler

10 coisas essenciais para levar em viagem

1.      Telemóvel

Quer seja para telefonar, para tirar fotografias, usar guias de viagem ou pesquisar na internet o telemóvel não pode ficar em casa. Isso não faz com que deixe de aproveitar a viagem, uma vez que apenas o utilizamos à noite no hotel ou durante as refeições, sem que este interfira em qualquer experiência.

2.      Guia de Viagem / Mapa

Apesar de existirem muitas atracções e lugares que não constam nos guias turísticos, estes são excelentes pontos de partida para o que podemos ver e apreciar numa cidade. Normalmente optamos por um guia mais pequeno para não ter de transportar muito peso às costas. Continuar a ler

O melhor da comida Tailandesa

A Tailândia tem tanto para oferecer em tantos sentidos e apesar de nunca ter sido um destino que estivesse nas nossas prioridades, ficámos a adorar não só pela sua beleza como também pelas pessoas. Quando falamos da Tailândia é impossível não nos lembrarmos de como comemos bem e da variedade infinita de alimentos que pudemos experimentar. Nós somos grandes amantes de frutas/vegetais (ou não fossemos nós vegetarianos) e no que a alimentação diz respeito, podemos dizer que nos alimentamos muito bem. Na Tailândia, temos a grande vantagem da moeda (baht) ter um valor extremamente baixo face ao euro (1€=40,39 Thai baht) e com poucos euros podemos ter uma refeição para dois, com direito a bebida e sobremesa.

Continuar a ler

Viajar low cost

Viajar low cost é para muitos uma necessidade mas também poderá ser uma oportunidade. É uma necessidade, uma vez que o dinheiro para fazermos as coisas que gostamos é pouco. Depois de pagar renda, luz, água, serviços, entre outros, já sobra pouco para ter umas férias de luxo e é uma oportunidade, porque viajando desta forma teremos certamente mais hipóteses de conhecer outros lugares, sendo que, aquilo que gastamos numa viagem, podemos gastar em duas viagens mais económicas.

Mas o que é isto de viajar low cost?

Para mim, viajar low cost é a oportunidade ideal para conhecer o maior número de lugares com a menor quantidade de dinheiro possível. Viajar low cost não significa de todo uma má viagem, mas sim, a oportunidade perfeita para sairmos da nossa zona de conforto,  explorarmos diferentes situações que irão contribuir para a nossa experiência enquanto viajantes. É importante ter em conta que vão existir gastos extra, mas há que saber onde gastar e averiguar no que se pode poupar. Há algumas regras de ouro a seguir para que a tua viagem seja low cost: Continuar a ler

5 acessórios indispensáveis no Caminho de Santiago

Quando comecei a pensar fazer o Caminho de Santiago, talvez duas a três semanas antes, li e pesquisei muito sobre o que devia levar na mochila. Preocupava-me porque nunca tinha passado por nenhuma experiência semelhante anteriormente, ou seja, isto de andar de mochila às costas a pé, era novidade. Quando éramos miúdos, nos nossos 18 anos, eu e o Ivan fomos acampar para Vila Nova de Milfontes, de mochila às costas, entrámos no autocarro e mesmo assim andámos o tempo todo extremamente carregados. Agora seria diferente, sabia e não queria dar-me a esse luxo, ainda mais quando numa experiência como esta, em que só o corpo e a cabeça importam. Não seria aquele ou outro objecto que fariam a diferença na minha experiência. Agora que olho em perspectiva para a experiência que foi, continuo muito contente com a minha decisão de apenas ter levado o indispensável. Continuar a ler

23 dicas para quem quer começar a viajar

1.      A altura em que vais viajar vai definir o orçamento total da viagem. Viajar no Natal, Páscoa, ou nos meses de Julho e Agosto vai certamente ser mais caro.

2.      Aproveita as épocas baixas para fazer viagens mais longas e os fins-de-semana prolongados para visitar cidades europeias.

3.      É muito importante definir um orçamento. Este irá variar de acordo com  nível de vida de cada país. Cidades como Londres, Paris, Viena e Amesterdão são mais caras quando comparadas com Roma, Barcelona, Madrid e Praga.

4.      Escolher o voo é o próximo passo. Para viajar dentro da europa as companhias lowcost são a melhor opção uma vez que os preços compensam bastante. Em voos internacionais terás que comparar diversas companhias.

5.      Para reservar o voo o preferivel é marcar sempre através das companhias aereas, no entanto para ter uma noção geral dos preços sites com o momondo.pt, kayak.pt ou skyscanner.pt são muito úteis. Continuar a ler