Uma aventura na Chapada Diamantina

Durante o nosso percurso de um mês pelo Brasil tirámos alguns dias para visitar o Parque Nacional da Chapada Diamantina situado no coração da Bahia, um local mágico onde nascem alguns dos rios mais importantes deste estado e que está repleto de cascatas e piscinas naturais de tirar o fôlego a qualquer um.

A nossa casa durante a estadia na Chapada Diamantina foi a cidade de Lençóis, uma antiga cidade de extracção de diamantes, que vive hoje em dia muito do turismo relacionado com a aventura e a natureza. 
Ficámos hospedados numa pequena pensão familiar chamada Pousada Recanto dos Mineiros de onde tínhamos uma vista privilegiada sobre a cidade.

 

 A visita à Chapada Diamantina foi feita por várias etapas e com a ajuda dos guias turísticos da Zentur Ecoturismo que nos levaram a conhecer os mais icónicos locais da região. Optámos pelos serviços incluídos no Pacote Tradicional que incluía a visita ao Parque da Muritiba, Cachoeira da Fumaça, Poço Azul e Poço Encantado. Por uma questão de tempo tivemos de cancelar a visita às grutas, também incluída neste pacote.
Quase que me esquecia de mencionar que aquando da nossa visita, em Agosto, esta região do Brasil atravessava um período de seca extrema, pelo que a quantidade de água não era muito abundante.

Dia 1 – Lençóis e Parque da Muritiba

Chegámos a Lençóis depois de uma longa e cansativa viagem de 7h de autocarro a partir de Salvador. Depois de nos instalarmos na nossa humilde pousada partimos para os escritórios da Zentur onde definimos o itenerário com as respectivas alterações e passados uns 20 minutos já tínhamos à nossa espera o nosso guia de viagem que nos levou pelos trilhos a conhecer o Parque da Muritiba, muito famoso pelas piscinas naturais, cascatas e formações rochosas das quais se destaca o Salão de Areias Coloridas.
De noite deu para aproveitarmos a cidade e saborear o nosso querido Açaí.

 

Dia 2 – Cachoeira da Fumaça

No segundo dia na Chapada fomos visitar a Cascata da Fumaça que fica localizada no Vale do Capão e é considerada como uma das maiores quedas d’água do Brasil, com cerca de 380 metros que queda livre.
A caminhada até chegarmos à cascata foi dolorosa e debaixo de um sol intenso. Foram 6km até lá e 6km de volta, mas valeu a pena, não pela queda de água , que estava seca, mas pelas vistas lindas sobre o Vale do Capão. No final do dia passámos ainda pela Cachoeira do Riachinho onde tivemos direito a nosso banho relaxante depois de um dia muito cansativo.2016-08-21 08.53.402016-08-21 10.20.562016-08-21 10.42.48-12016-08-21 13.05.062016-08-21 13.06.412016-08-21 13.17.012016-08-21 13.23.08-12016-08-21 13.30.252016-08-21 16.53.08

Dia 3 – Poço Azul e Poço Encantado

O melhor estava guardado para o fim. Este percurso é um dos mais fascinantes a fazer na Chapada Diamantina pela sua beleza e coragem necessária para entrar nestas grutas.
O Poço Encantado é conhecido por hipnotizar os seus visitantes tal é a sua beleza e mistério. E nada melhor do que um banho nas águas do Poço Azul para fechar o percurso com “chave de ouro”. O poço azul é um lugar altamente protegido por questões ambientais e para entrar dentro dele temos de estar equipados a rigor com toucas para não deixarmos lá cabelos, máscaras de snorkeling para apreciarmos toda a sua magia e também é proibido mergulhar ou agitar demasiado a água. Foi sem dúvida uma das aventuras mais surpreendentes pelas quais passámos nos últimos anos.

2016-08-22 10.49.092016-08-22 11.02.292016-08-22 11.05.26Processed with VSCO with g3 preset2016-08-22 11.27.43 HDR2016-08-22 13.45.19 HDR-1DCIM100GOPROProcessed with VSCO with hb1 preset

Visitar a Chapada Diamantina valeu a pena pela aventura e por estarmos em constante contacto com a natureza que nos ajuda a abstrair do mundo agitado do nosso dia-a-dia.

Se estiverem à procura de voos baratos para o Brasil, já sabem onde o fazer. 

Ivan

Seguir:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *