Paraty, para mim, e para o mundo

Paraty é para os parâmetros brasileiros uma cidade pequena. Tem cerca de 40000 habitantes e localiza-se a cerca de 4h de viagem de autocarro do Rio de Janeiro.
A cidade tem um dos centros históricos mais bem preservados do Brasil e nele podemos apreciar a verdadeira arquitectura colonial portuguesa. As casas típicas e as ruas de pedra não deixam dúvidas, a presença portuguesa nesta cidade foi intensa.
Paraty encontra-se em boa parte, abaixo do nível médio das águas do mar, o que faz que durante as marés vivas, as ruas do centro se inundem, dando origem a canais de água, tornando esta cidade conhecida como a Veneza Brasileira.

Durante o nosso trajecto de um mês no Brasil tirámos 3 dias para passar em Paraty, mas podíamos até ter tirado mais, tal é quantidade de locais a visitar nas redondezas.
O primeiro dia foi passado a conhecer o centro histórico da cidade. Admirámos os edifícios tão bem preservados, onde hoje se localizam lojas, restaurantes, ateliers de arte e serviços variados.
Visitámos as belíssimas praias junto à cidade, as igrejas, o porto e ainda tivemos tempo para apreciar um sumo de fruta na praia do pontal, tirando partido de um ambiente bem calmo e sedutor.

Ainda durante este dia, tivemos a oportunidade de experimentar pela primeira vez um restaurante de comida a quilo no Brasil, o Amarelinho, onde comemos arroz e feijão, claro!
No segundo dia tivemos oportunidade de visitar Trindade, uma vila pertencente ao município de Paraty e sobre a qual vos falaremos noutro post.
No nosso último dia em Paraty embarcámos numa Jeep Tour que nos levou a conhecer as mais belas cascatas da região e dois alambiques onde é produzida a famosa Cachaça.
Começámos o dia no Forte Defensor Perpétuo, local onde se instalaram os primeiros povos que habitaram a região. Aqui conseguimos admirar a vista da baía de Paraty.


De seguida foi altura de nos dirigirmos ao Poço da Usina e à fabulosa Cachoeira da Pedra Branca, uma verdadeira relíquia da natureza.


Houve tempo para descobrirmos como é feita famosa cachaça brasileira, que tão bem conhecemos de colocar nas caipirinhas, no alambique da Pedra Branca, onde existe esta bebida para todos os gostos.


Visitámos depois o Poço do Tarzan, local onde tivemos oportunidade de apreciar um almoço delicioso no restaurante que lá se encontra.


Após o almoço a Joana sentiu-se cheia de energia e decidiu escorregar sentada a pedra da famosa Cachoeira do Tobogã, local onde os habitantes da cidade exibem as mais loucas e perigosas acrobacias.

Demos ainda um saltinho à lindissima igreja da Penha, que se encontra construída no topo de uma rocha.

No final do dia fomos experimentar o melhor açaí de Paraty, de acordo com que a nossa guia e amiga, Jo, nos disse. E que bem que soube!


Paraty foi sem dúvida alguma, uma das maiores surpresas no nosso percurso de 1 mês no Brasil, sendo para mim um local mágico envolvido numa natureza de nos tirar o fôlego.
Ivan
 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *